quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

6 anos.Carta para o Gui.


Meu querido Guilherme,
Agora que tens 6 anos e que até já estás a aprender a ler, acho que chegou o momento de saberes algumas coisas.
A "Tia Paulinha" (como carinhosamente me começaste a chamar), gostava que soubesses o que realmente sinto por ti e como me senti desde o primeiro dia em que soube que a tua mãe estava grávida. Nunca hei-de esquecer aquele dia, quando o teu papá me telefonou a dizer que tinha uma coisa para me contar, mas que preferia dizer-me pessoalmente, confesso que desconfiei. Mas só desconfiei, não porque ele me tenha dado alguma pista, mas porque um sobrinho era uma das coisas que eu mais queria. De seguida, a Tia Milena ligou-me a perguntar se o Dino já me tinha ligado. E aí eu fiquei ainda mais desconfiada e liguei de novo para o papá a perguntar o que se passava. Quando o mano velho me disse que a SanSan estava grávida fiquei HISTÉRICA, gritei tanto ao telefone, chorei tanto que me vieram perguntar o que se passava e eu não conseguia falar.
Foi, seguramente, um dos dias mais felizes da minha vida. Eu ia ter um sobrinho. Um sobrinho (Guilherme se fosse rapaz; Rita se fosse rapariga - sim, desde os tempos de namoro entre o papá e a mamã que os vossos nomes estavam escolhidos!).
A segunda grande emoção foi quando soube que serias um Guilherme! Estava em Ayamonte a passear e quando o teu pai me ligou, foi o 2.º acto da histeria completa.
Felicidade a dobrar: ia ser tia e tia de um rapaz! Acreditas que sempre que vou a Ayamonte e passo por aquela rua me lembro de ti e de tão contente que fiquei com a notícia que ali recebi!
A gravidez da mamã foi tranquila e a emoção e ansiedade ia crescendo de mês para mês. O tempo de gestação acabou dia 13/12 mas tu estavas tão bem que só "saíste" do conforto da mamã no dia 20/12.
Mas antes disso, ainda fui com a mamã fazer um CTG uma semana antes, a salinha onde a mãe estava deitada era tão pequenina, mas eu (e a Graça, a tua madrinha), não arredavamos pé de lá, nem quando a médica ia lá. Queria estar presente em tudo!
E estive, Gui!!!
No dia 19/12 saí do trabalho e fui para o Hospital de Santa Maria esperar por ti, meu amor!
Foram horas hilariantes, que meteu de tudo: desde fugir ao Segurança para ir ver como estavas tu e a mamã (a sorte era que o Segurança fumava e sempre que ia para a rua eu escapava-me pelas escadas acima, para saber se havia novidades) até o teu pai ter encontrado o Eng.º Sousa Veloso (que apresentava o TV Rural há muitos, muitos anos....) e ir cumprimentá-lo aproveitando para lhe dizer que ia ser pai naquele dia e que via sempre o TV Rural. Só não lhe disse que os putos daquela altura viam o programa dele sobre agricultura porque dava imediatamente antes dos desenhos animados!!!.
Finalmente chamam o teu pai pelo altifalante - seriam perto das 7 da manhã - e ele super nervoso vai lá cima, e quando desce traz a novidade que nasceste, que estás óptimo, e a mamã também, mas como foi cesariana não vos podemos ver já.
A Tia Paulinha - inconformada por natureza - só esperou por uma distracção do Segurança, para subir as escadas e lá fui eu, Gui, a fugir de toda a gente para te ver. E vi. Quando te vi, foi uma das maiores emoções da minha vida! Estavas ali. O meu sobrinho. O filho do mano velho tinha nascido, e era lindo de morrer. Não sei se a mamã alguma vez te disse mas eu fui a primeira pessoa que te vi. Sim, Gui primeiro que o teu pai ou que a tua mãe.
E esse primeiro olhar ninguém me tira.
Nem isso nem o amor incondicional que sinto por ti!
Tia Paulinha

1 comentário:

Gui disse...

Tia Paulinha
Já imprimi a tua cartinha, vai ficar guardada dentro do meu livro preferido de animais, e mais tarde quando souber ler melhor (se bem que já leio muitas palavras!!!)vou lê-la com muita atenção e guardá-la para sempre dentro do meu livro e dentro do meu coração, pois sei que tenho uma tia que me adora e que será sempre uma tia muito especial - a minha tia Paulinha
Gui